terça-feira, 29 de junho de 2010

Ventilação Mecânica não-invasiva

Principais efeitos da VMNI: A ventilação por pressão positiva continua nas vias aereas (CPAP) é constituida de um único nível de pressão, que permanece nos pulmões indenpendente da fase do ciclo respiratorio do pcte. Dessa forma, nesse tipo de ventilação, tem-se apenas um aumento na capacidade residual funcional, sem aumento significativo no volume corrente. Por esse motivo, deve-se utilizar a CPAP apenas em pctes que apresentam um prejuizo qtoà oxigenção, seja pela redução da capacidade residual funcional (atelectasia) ou pelo aumento na espessura da membrana respiratória (EAP). O BIPAP é constituido por dois niveis de pressão nas vias aereas, em que o nivel IPAP é puramente inspiratório e o EPAP é produzido na fase expiratoria do ciclo respiratorio, fazendo c/ que o pcte tenha um suporte pressorio variavel nas duas fases do ciclo respiratorio. Dessa forma, existe uma variação de pressão na fase inspiratoria que, por sua vez, determina uma variação de volume, o qual pode ser alto ou baixo de acordo c/ o diferencial de pressão existente nas vias aereas.
A VMNI tem como principais efeitos no sistema respiratorio: aumento da capacidade residual funcional, alteração do volum corrente e de ventilação minuto, que por si sós, podem alterar os niveis de CO2 arterial.
Esses efeitos são importantes p/ manter uma função pulmonar estável em todos periodos pós-operatorio, corrigindo alterações que possam vir a se desenvolver.


Objetivos da VMNI:

  • Aumenta a ventilação alveolar
  • Melhora as trocas gasosas pulmonares
  • Diminui o trabalho respiratório
  • Repouso parcial da musculatura respiratória
  • Manutenção e melhora dos volumes pulmonares
  • Diminuição da dispnéia
  • Eliminação da necessidade de entubação orotraqueal

Indicações:

  • Insuficiência respiratória agudae crônica
  • EAP cardiogênica
  • DPOC
  • Doença neuromuscular
  • Doenças deformantes do torax
  • PO de cirurgia toracicoadominais
  • Insuficiencia respiratori pós-extubação e no auxilio do desmame
  • Apnéia do sono obstrutiva
  • Hipoventilação pulmonar
  • Evitar atelectasia
  • Ventilação domiciliar

Contra-indicações absolutas:

  • Parada respiratoria
  • Necessidade imediata de entubação traqueal
  • Hipotensão c/ necessidade de drogas vasopressoras
  • Obstrução mecânica das vias aereas superiores
  • Arritmias incontroladas
  • Isquemia miocardica
  • Trauma facial
  • Inabilidade em eliminar secreções ou deglutir
  • Rebaixamento do nivel de consciência
  • Sangramento gastrointestinal ativo
  • Pneumoencefalo
  • Pneumotorax não drenado
  • Hemoptise e epistaxe maciça
  • Pcte pouco colaborativo
  • Queimaduras faciais
  • Cirurgias facais

Contra-indicações relativas:

  • Ansiedade extrema
  • Obesidade morbida
  • Secreção abundante
  • Sindrome da angustia respiratoria aguda c/ hipoxemia grave
Complicações:
  • Necrose facial
  • Distensão abdominal
  • Aspiração de conteudo gastrico
  • Hipoxemia transitoria
  • Ressecamento nasal, oral e de conjuntiva
Vantagens da VMNI:
  • Evita entubação
  • Preserva vias aeras superiores
  • Diminuir risco de infecção pulmonar
  • Menor chance de causar hipotensão
  • Menor necessidade de sedeção
Desvantagens da VMNI:
  • Risco de vômitos e aspiração de conteudo gastrico
  • Risco de distensão abdominal
Ventilação c/ pressão negativa: Ela é similar a ventilação espontânea. A VPN diminui a pressão pleural durante a inspiração ao expor o torax à pressão subatmosferica. Esta pressão negativa na superficie do corpo é transmitida inicialmente ao espaço pleural e, em seguida, aos alvéolos.
Como a abertura das vias aereas permanece exposta à pressão atmosferica durante a VPN, é criado um gradiente de pressão transitório como o gerado durante a ventilação espontânea.As complicações fisiologicas associadas com a VPN são incomum porque elas simulam a netilação espontânea ormal.A maioria das alterações é observada em pctes c/ ventilação c/ pressão positiva.

Ventilação c/ pressão positiva: A ventilação com pressão positiva reverte os gradientes de pressão observados durante a ventilação espôntanea e a VPN.
O gás flui p/ o interior dos pulmões porque a pressão na abertura das vias aereas é positiva, enquanto a pressão alveolar inicialmente é zero. No entanto, a pressão alveolar aumenta rapidamente durante a fase inspiratória da VPP até um nivel bem acima da pressão atmosferica. Essa elevação da pressão alveolar é maior do que a pressão pleural durante a VPP, a pressão positiva é transmitida dos alvéolos p/ o espaço pleural, fazendo com que a pressão pleural aumente durante a inspiração.
Qdo o gás flui dos alveolos p/ a abertura das vias aereas, a pressão alveolar cai ao nivel atmosferico, enquanto a pressão pleural é restaurada ao seu nivel normal subatmosferico.

Efeitos fisiologicos da VPP:

  • A pressão positiva ajuda os mm respiratórios a vencer os componentes resistivos e elásticos do sistema respiratório
  • Mantém as unidades alveolares abertas e estabilizadas
  • Melhora a ventilação com:
    – ↑ VT e melhora da ventilação alveolar
    – Reversão do shunt provocado por atelectasias

CPAP:
Modo ventilatório onde existe pressão positiva nas vias aéreas (pressão de ar), mantida durante todo o ciclo respiratório, de forma contínua. O paciente respira espontaneamente. É utilizado geralmente para exercícios respiratórios em fisioterapia, proporcionando a otimização da ventilação pulmonar e do trabalho respiratório. Muito utilizado em pacientes com apnéia de sono. Sendo silencioso, elétrico e compacto pode ser utilizado com máscara nasal ou facial.

BIPAP:
Outro modo ventilatório com dois níveis de pressão (pressão inspiratória e uma expiratória), que se alteram nas vias aéreas. Utilizado também para exercícios, e quando o uso do CPAP se torna ineficiente, devido a necessidade de pressões inspiratórias maiores ou adaptação do paciente. Sua vantagem sobre o CPAP é onde suas duas pressões associadas dão ao paciente mais conforto ao respirar, simulando uma respiração espontânea com acompanhamento da respiração voluntária do paciente.

Referencias:
http://servidor3.fes.br/disciplinas/fis/Terapia_Intensiva/Ventila%E7%E3o%20N%E3o%20Invasiva%20com%20Press%E3o%20Positiva.ppt#256,1,Ventilação
http://www.homefisio.com.br/t_respiradores_mecanicos_n_invasivo.html
Sarmento GJV, fisioterapia respiratoria no pcte critico, rotinas clinicas, segunda ed.,2007
Scanlan LC, et al, fundamentos da terapia respiraoria de EGAN, setima ed., 2000

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário